Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução da logomarca e de outras imagens sem autorização prévia da editora.

Please reload

Recent Posts
Featured Posts

Robson Gabriel e o lançamento da aguardada continuação de "Imperfeito"

25/07/2017

Hoje damos as boas-vindas à mais um autor no nosso time de estrelas. Robson Gabriel chega à Ler Editorial com Inquebrável, segundo volume da série Crescendo, que fala diretamente com o público jovem LGBT. Nessa entrevista, ele conta um pouco sobre como tudo começou, sua paixão pela escrita e o livro que será publicado.

 

Estrelas da Ler: Robson, seja muito bem-vindo à Ler Editorial! Em primeiro lugar, gostaria que você falasse um pouquinho de você e de como começou a escrever.

Robson Gabriel: Oi! É muito gratificante fazer parte do time da Ler, essa editora que abraça o autor nacional como um filho. Bom, eu sou um cara como qualquer outro, cheio de manias e vícios, como música que me desperte a vontade de continuar vivendo, livros e séries de TV. Mas, além disso, sou uma pessoa bem fofa e que adora ser abraçada! Eu comecei escrever exatamente quando o meu blog, o Perdido em Palavras (RIP), completou um ano de existência, se não me engano foi em 2012. Eu amava tanto “Instrumentos Mortais”, da Cassandra Clare, que acabei desenvolvendo uma fanfic baseada na série, ela se chamava “The Mortal Fanfic”. Conforme esse trabalho foi se desenvolvendo, algumas pulgas atrás das minhas orelhas começaram a me incomodar e eu precisei criar algo meu. Foi então que comecei a escrever meu primeiro livro, uma distopia chamada “Os Filhos de Pandora”, que foi escrita em conjunto com o Vitor Castrilo e publicada no Wattpad. A gente nunca tirou esse livro, de fato, da gaveta, então eu continuei minha carreira escrevendo “Imperfeito”, que teve diversos nomes, dentre eles “Persuasão” e “Redenção”, o último sendo a edição que publiquei no Wattpad e me rendeu mais de trinta mil leituras, além do reconhecimento no mercado. Desde então, não parei mais.

 

EL: Qual é o livro que tem lugar cativo na sua estante? Aquele que é o seu favorito?

RG: Não tenho um só, mas eu morro de paixão por “Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo”, do Benjamin Alire Sáenz, que foi o livro responsável por me tirar de um momento ruim e que me deu forças para continuar escrevendo “Imperfeito”.

 

EL: Tem alguma coisa que não pode faltar nos seus livros?

RG: Nos meus livros não pode faltar uma boa dose de drama, seja ele pessoal ou uma situação dramática. Além disso, em todos os meus livros e contos, sempre há a presença de músicas dos mais variados gêneros.

 

EL: “Inquebrável” será o seu primeiro livro publicado pela Ler Editorial. Pode nos falar um pouco sobre ele?

RG: “Inquebrável” é um orgulho para mim. Depois que terminei “Imperfeito” e o publiquei na Amazon, comecei a escrevê-lo. O Daniel precisava se mostrar mais para o mundo. Mas, logo quando bombei na Amazon, recebi a proposta de uma editora, que acabou por me deixar na mão e como foi bem na época que sai de casa em São Paulo para estudar no Mato Grosso, quase entrei em depressão. As coisas ficaram bem difíceis. Mas logo eu conheci o Danilo, meu agente, que me mostrou que a gente não pode desistir nunca. Então, voltei a me focar no livro. E olha, eu aprendi muito com ele, acho que até o momento são as palavras mais bonitas e mais profundas, que já escrevi na minha vida.

 

EL: Essa série de livros fala de uma fase complicada na vida de todo mundo, a descoberta da sexualidade. Qual a importância de escrever sobre isso para o público jovem?

RG: O público jovem está em constante transição, é uma fase da vida cheia dos altos e baixos. Então, imagine-se no lugar de um adolescente que cresceu ouvindo que homem tem que ser másculo, tem que gostar de garotas e todo esse blá, blá, blá conservador. Quando aconteceu comigo, quase fiquei louco, e não havia em mídia nenhuma algo que me mostrasse que o que estava acontecendo era algo normal e que outras milhares de pessoas passavam pela mesma situação. Os jovens precisam dessa válvula de escape para perceberem que não estão sozinhos e que em algum lugar do mundo tem alguém que o entende e o apoia.

 

EL: “Inquebrável” é o segundo livro da série “Crescendo”. Que desafios o Daniel, seu protagonista, deve enfrentar nesse livro e que você pode nos revelar?

RG: O Daniel deve se reencontrar e passar, de uma vez por todas, a entender e aceitar o que está acontecendo com ele. Passando por este momento difícil, o protagonista vai precisar se reafirmar e mostrar para todos aqueles que fazem parte do seu círculo íntimo que nada vai mudar, por mais que eles odeiem aquilo. É um livro que, sem dúvidas, vai emocionar muita gente e mostrar a importância real de se conhecer e se aceitar.

 

“Inquebrável” será lançado na Bienal do Rio deste ano. Fique atento às nossas redes sociais para mais notícias sobre o lançamento do livro. E se você vai à Bienal, não deixe de visitar nosso estande. Ele ficará na rua H, pavilhão Azul.

Please reload