Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução da logomarca e de outras imagens sem autorização prévia da editora.

  • Lucas de Sousa

SER MÃE


Ainda que sob a ótica do filho que é amado, talvez nunca entendamos o amor dessa mãe que vai à luta, quebra correntes, veste a capa de super-heroína e segue a batalha recarregada da vontade de amar. É o colo que aconchega, a palavra amiga na hora certa, o puxão de orelha que traça a pedagogia apreendida durante a vida inteira. Difícil é mensurar o quão especial é essa característica, da qual não se pode generalizar, mas que faz parte de uma cultura universal e que atravessa as eras, que se modifica ganhando contornos diferentes, mas que se adequa sempre aos modelos tradicionais de se pensar mãe.

Como filho, pude enxergar o quão difícil é pensar no cuidado, prestar atenção nas múltiplas necessidades que se apresentavam no cotidiano de cada um, ainda que eu pudesse ver muitas vezes o sacrifício do ser mãe. Aquele momento em que ela tira grande parte de si para doar ao filho, independentemente de sua idade, até porque filho nunca deixa de ser cuidado. Fosse na hora do choro, do “eu não aguento mais” ou nas horas mais especiais do orgulho de ter podido proporcionar uma educação pautada nos melhores sentimentos. E posso dizer que filho não deixa de ser um pouco mãe. Aliás, a educação materna é para a vida toda, e acredito que pensar amor e carinho parte dessa essência tão especial que é ser mãe.

Que grande responsabilidade ela tinha em mãos! Aposto que filho nunca parou para pensar muito nisso, ou melhor, pensou depois de ocupar esse papel.

São muitas as obrigações, por isso, como filho, destaco a qualidade de super-heroína, e por que não milagreira também? Dar conta do trabalho, de casa, das compras, dos estudos, das contas, dos passeios (porque ninguém é de ferro e isso é muito importante) é para mães que não temem o pouco que tem na geladeira (porque disso fazem pratos fantásticos), não temem sorrir quando tudo desmorona sob sua cabeça (o que lhe traz alívio), não admitem que falem mal dos seus filhos (porque só ela sabe o quanto batalha por sua educação).

Mãe é sempre mãe, e é um lugar difícil de ocupar ou substituir. Seja essa mãe mulher, a mãe homem, a mãe-filho; a essência mãe imprime na gente esse amor puro, o qual norteia nossas melhores ações no mundo.

Parabéns para todas as mães!

#crônica #autoresnacionais #LucasdeSousa #Diadasmães #homenagem

19 visualizações